Professoras de São Paulo conduzem pós-graduações na Facimed

Turmas de Enfermagem em UTI Adulto e Fisioterapia em Unidade de Terapia Intensiva

Em um cenário de mudanças tão rápidas no campo das práticas profissionais, no conhecimento e na tecnologia, fazer uma pós-graduação se tornou uma necessidade. Atualizar conhecimentos, buscar novas respostas aos problemas que surgem, faz com que o profissional seja diferenciado no mercado de trabalho. A Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal (Facimed) oferece mais de 30 pós-graduações nas áreas de exatas, biológicas e humanas, com uma estrutura preparada para receber os pós-graduandos, a instituição também disponibiliza os melhores profissionais de Rondônia e de outras regiões do País. No último módulo, estiveram na Facimed duas profissionais renomadas do estado de São Paulo, a Fisioterapeuta Ms.Marta Damaceno, que é Coordenadora do departamento de Fisioterapia da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) e Coordenadora do Serviço de Fisioterapia da Santa Casa de Misericórdia de São João da Boa Vista-SP e a Enfermeira Dra. Renata Pietro, autora de livros sobre a Enfermagem e presidente do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP).

Marta conduziu o módulo de Ventilação Mecânica Invasiva no Adulto na pós-graduação de Fisioterapia em Unidade de Terapia Intensiva. “Esse curso tem o objetivo de dar subsidio ao Fisioterapeuta, os ajustes específicos e as particularidades da ventilação mecânica que é a respiração artificial no paciente crítico que deve ser feita de forma segura e de forma a tratar a doença respiratória que o paciente tem. Hoje é exigência do nosso Conselho Federal a especialização para atuar na Terapia Intensiva, o Fisioterapeuta para atuar em UTI tem que ser Especialista”, explicou a profissional.

A Enfermeira Dra. Renata Pietro também esteve na instituição ministrando o módulo de Sepse e Segurança do Paciente na pós-graduação de Enfermagem em UTI Adulto. Renata é autora de livros sobre a Enfermagem e presidente do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP). “Sepse é uma doença de alta incidência e mortalidade que mata muito mais que infarto agudo do miocárdio e as pessoas não tem essa noção, então hoje nós estamos ensinando os alunos trabalharem a identificação precoce do doente para que possa salvar vidas. O diferencial de quem faz esse módulo é que o profissional vai para a assistência com uma segurança maior para as ações práticas, porque a gente traz artigos e vivencias e desenha com eles o cenário em cima das necessidades da realidade”, finalizou a professora.