Professor egresso da Facimed conquista medalha de ouro na 10ª Olimpíada do Conhecimento

Jonis e as alunas realizaram pesquisa sobre a eficácia do biofertilizante no cultivo doméstico

Já há muitos anos que a importância da educação na sociedade vem sendo destacada por grandes filósofos e pensadores, Platão por exemplo, dizia que “A direção na qual a educação se inicia a um homem irá determinar sua vida futura” e foi nesta direção que a vida profissional de Jonis Correia de Faria Moreira, teve início. Foi nos estágios do curso de Ciências Biológicas da Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal (Facimed) que o jovem percebeu o quanto a educação poderia ser uma ferramenta de transformação social.

Jonis que também é pós-graduado em Zoologia, Ecologia e Conservação pela Facimed, confessa que é apaixonado por ensinar e esse amor já rendeu ótimos frutos, ele que é professor de uma escola particular da cidade, conquistou junto com as alunas a medalha de ouro na 10ª edição da Olimpíada do Conhecimento, maior competição nacional de educação profissional e tecnológica das Américas que acontece em Brasília. “Foram selecionados os melhores trabalhos no País para exposição, tivemos a oportunidade de mostrar nossa pesquisa sobre a eficácia do biofertilizante no cultivo doméstico. A ideia surgiu em uma aula de campo, notamos que é possível plantar sem utilizar agrotóxicos que fazem tanto mal para a saúde, o biofertilizante que produzimos está sendo testado, temos certeza de que ele poderá ajudar os agricultores no cultivo, diminuindo assim o uso de veneno na agricultura local”, contou o professor.

Jonis que foi o orientador do trabalho ficou orgulhoso em ver os alunos sendo elogiados pela pesquisa e tão empolgados com a iniciação científica. “Acredito muito que é essa educação que pode mudar o Brasil. Precisamos unir forças para mudar a realidade na educação do País e isso se faz com uma sociedade unida em prol da educação. Trouxemos para Rondônia a medalha de ouro e estamos muito felizes”, afirmou.

Para o jovem professor, a inspiração de ser um bom mestre partiu da vivencia com os docentes durante a faculdade. “Em certas situações me pergunto como meu professor faria? Os professores que tive na graduação e pós-graduação foram realmente os melhores, sou grato a instituição por ter tido o privilégio de aprender com eles”, finalizou.

A pesquisa foi realizada pelas alunas Paloma Thamires Pereira dos Santos, Lorrainy Rodrigues Felix e Rayane Elisa Calado de Carvalho.