Pesquisa realizada por egressos aponta que canela em pó ajuda na cicatrização das rosas do deserto

A canela tem agentes que permitem que infeções fugidas ou qualquer outro patógeno não entre em contato com a planta

A rosa do deserto é uma flor que tem caído no gosto de quem é apaixonado por plantas, esse sucesso todo é devido a beleza única que ela possui. A planta é originária da África do Sul e pode chegar a medir 4 metros de altura e 1 metro e meio de largura quando cultivada em ambiente natural. Esse tipo de flor adapta-se facilmente a países tropicais, como no Brasil.

Uma pesquisa recente realizada por egressos do curso de Ciências Biológicas de Cacoal (Facimed), apontou que a canela em pó pode ser uma grande aliada para o desenvolvimento da flor.Foram selecionadas 20 plantas com aproximadamente 10 a 25 cm de comprimento, sendo 10 submetidas ao tratamento com canela em pó e as outras 10 plantas restantes foram submetidas ao tratamento sem a utilização de canela em pó. “ Pesquisamos para saber se a canela em pó realmente ajuda as rosas do deserto a terem uma cicatrização melhor quando alguém faz uma poda ou alguma infecção bacteriana microbiológica. Na pesquisa foi comprovada que a cicatrização realmente acontece, a canela tem agentes que permitem que infeções fugidas ou qualquer outro patógeno não entre em contato com a planta, isso porque ela estanca e cria uma camada que não fica tão fácil de ser penetrada por esses agentes”, explicou o Biólogo e pesquisador Dorival Bertochi.

 A pesquisa foi realizada pelos egressos, Dorival Bertochi, Jean Lucas Rosa, Mariana Martins, Camila Costa e pelo coordenador do curso de Ciências Biológicas em EaD da Facimed, Emerson Almeida Moreira.