Facimed alerta sobre a importância da vacinação

"Recentemente foram diagnosticados 2 casos de sarampo, sendo casos importados, ou seja, pessoas que contraíram a doença em outro local e vieram para Rondônia"

Como está a sua carteira de vacinação? E a dos seus filhos? Está tudo em dia? Esse é um assunto que tem sido bastante debatido nas últimas semanas, em muitas regiões do país as metas de vacinação não estão sendo atingidas.

Em 2017 a procura pelas vacinas do calendário infantil já foi baixa e neste ano vem no mesmo ritmo, a preocupação é de que doenças que há muitos anos não se ouvia falar voltem aparecer, uma delas é o sarampo que inclusive já deu as caras em alguns estados do Brasil, como Rondônia. “Segundo o Ministério da Saúde, desde 1999 que não havia sido detectados mais casos, porém recentemente foram diagnosticados 2 casos de sarampo, sendo casos importados, ou seja, pessoas que contraíram a doença em outro local e vieram para Rondônia”, explicou Helizandra Simoneti Bianchini Romanholo, Profª Msª do Curso de Enfermagem da Facimed e Enfermeira do Ambulatório Especializado.

O Sarampo é causado por um vírus altamente contagioso, a vacina contra a doença é oferecida através da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) para crianças de 1 ano de idade e a vacina tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela), para crianças de 1 ano e 3 meses. Para indivíduos com até 29 anos, são indicadas 2 doses da vacina tríplice viral e para indivíduos de 30 a 49 anos de idade apenas 1 dose. O Brasil conseguiu o certificado de erradicação da doença pela Organização Mundial da Saúde em 2016, mas novos casos voltaram a parecer justamente porque parte da população não foi vacinada.

A poliomielite é outra doença que voltou a preocupar, apesar do Brasil não registrar casos da doença há 28 anos a vacina contra a pólio não pode ser deixada de lado, a imunização é oferecida para crianças de até 4 anos. O Ministério da Saúde fez um alerta quanto a cobertura vacinal da doença, 300 municípios do País enfrentam risco de registrar casos de poliomielite, eles estão com cobertura abaixo de 50 por cento. A doença foi erradicada do Brasil nos anos 90, mas se não houver imunização o vírus pode voltar.

“Essas doenças podem ser evitadas por meio da vacinação, pois as vacinas são compostas por substâncias e microrganismos inativados ou atenuados que são introduzidos no organismo para estimular a reação do sistema imunológico, sendo a melhor forma de se proteger”, disse a Enfermeira Helizandra.

Nas Unidades Básicas de Saúde, as vacinas são gratuitas e oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). É extremamente importante manter a carteira de vacinação atualizada, portanto, compareça a um posto de saúde mais próximo, portando o cartão de vacinação, documento de identificação e cartão SUS. Proteja-se, vacine-se.